sexta-feira, 15 de julho de 2011

Meio Ambiente - Sugestões

Musica :”Sim a Vida.”(Pe Fabio de Melo eLu Cardoso)Cd Iluminar”

“Copo vazio nas maõs ,quando a agua faltar.

Aguas que invadem a terra buscando um lugar.

Verde que o fogo avermelha tornando cinza ochão

Guaras,flôres,suçuaranas,a vida em extinção



Vozes vão interpretar uma cançaõ

Canção que derrame na terra semente de paz

Que seja capaz de alterar e mudar a direção

Dos ventos que trazem a sombra

Que assusta e ofusca a criação



Pra dizer “,Sim a Vida”

Nós juntamos nosso canto

Convidamos outros tantos

Pra que a voz a este clamor

Possa emprestar



Pra dizer “Sim a Vida”

Não importa o que sejamos

Só importa o que buscamos

A herança que aos filhos vai ficar.



Pra dizer “Sim a Vida”

Pra fazer tudo de novo

Pois a dor que dói no mundo

ja não pode esperar



Pra dizer “Sim a Vida”

Sim ao novo que virá

O motivo que nos move

E faz a voz não se cansar



Pra dizer “Sim a Vida”

Nós cruzamos as fronteiras

Nos tornamos iguais

Pra dizer “SIM A VIDA”

http://www.4shared.com/audio/dhdUpXHp/Padre_Fabio_de_Melo_14_Sim__vi.htm



Benke
Milton Nascimento

Composição: Milton Nascimento e Márcio Borges

Beija-flor me chamou: olha

Lua branca chegou na hora

O Beija-Mar me deu prova:

Uma estrela bem nova

Na luminária da mata

Força que vem e renova



Beija-Flor de amor me leva

Como o vento levou a folha



Minha Mamãe soberana

Minha Floresta de jóia

Tu que dás brilho na sombra

Brilhas também lá na praia



Beija-Flor me mandou embora

Trabalhar e abrir os olhos



Estrela d'Água me molha

Tudo que ama e chora

Some na curva do rio

Tudo é dentro e fora

Minha Floresta de jóia



Tem a água

tem a água

tem aquela imensidão

tem sombra da Floresta

tem a luz do coração

Bem-querer!!!



* Essa canção é o nome de um curumim do povo Kampa e é dedicada a todos os curumins de todas as raças do mundo



http://www.4shared.com/audio/6UCxXvox/Milton_Nascimento_-_Benke.htm

http://professoressolidarios.blogspot.com/2011/07/meio-ambiente-sugestoes.html

Sugestão de atividades para o Meio Ambiente


Segue alguns links e músicas

http://www.cenedcursos.com.br/poemas-ambientais.html

http://www.sustentabilidade.org.br/default.asp


Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.



Mahatma Gandhi

Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.



Séneca

A mancha

Composição: Lenine/Lula Queiroga



A mancha vem comendo pela beira

O óleo já tomou a cabeceira do rio

E avança

A mancha que vazou do casco do navio

Colando as asas da ave praieira

A mancha vem vindo

Vem mais rápido que lancha

Afogando peixe, encalhando prancha

A mancha que mancha,

Que mancha de óleo e vergonha

Que mancha a jangada, que mancha a areia



Negra praia brasileira

Onde a morena gestante

Filha do pescador



Derrama lágrimas negras

Vigiando o horizonte

Esperando o seu amor



http://www.4shared.com/audio/JVpcE1Js/Lenine_-_A_Mancha__1_.htm




Natureza - O antes e o depois


No Brasil há várias culturas e variadade nas épocas.

No ontem o verde predominava,

no hoje é raro ter paisagens naturais,

num país rico em diversidade,

só nos falta mais veracidade.



Antes, onde havia floresta, hoje há muitas casas,

e falta a natureza.

O país, já perdeu as cores,e quase todo seu ouro natural.

Onde havia verde, hoje vemos paisagens humanizades e sentimos falta da época esverdiada.



Como boa brasileira,

só me resta a esperança e a vontade de um novo mundo,

onde prevaleçam as cores e toda a riqueza natural.

Eu só desejo vida, e menos ingnorância quando se trata de:

natureza - o meio certo da sobrevivencia em meio a tanta riqueza.



Gisele B.





"O Progresso - Roberto Carlos"



Eu queria poder afagar uma fera terrível

Eu queria poder transformar tanta coisa impossível

Eu queria dizer tanta coisa que pudesse fazer eu ficar bem comigo

Eu queria poder abraçar meu maior inimigo.



Eu queria não ver tantas nuvens escuras nos ares

Navegar sem achar tantas manchas de óleo nos mares

E as baleias desaparecendo por falta de escrúpulos comerciais

Eu queria ser civilizado como os animais.



Eu queria não ver todo o verde da Terra morrendo

E das águas dos rios os peixes desaparecendo

Eu queria gritar que esse tal de ouro negro não passa de um negro veneno

E sabemos que por tudo isso vivemos bem menos.



Eu não posso aceitar certas coisas que eu não entendo

O comércio das armas de guerra, da morte vivendo

Eu queira falar de alegria ao invés de tristeza mas não sou capaz

Eu queria ser civilizado como os animais.



Não sou contra o progresso

Mas apelo pro bom-senso

Um erro não conserta o outro

Isso é o que eu penso



http://www.4shared.com/audio/j0EQqpkX/roberto_carlos-o_progresso.htm



"O Sal da Terra - Roupa Nova"



Anda, quero te dizer nenhum segredo

Falo nesse chão da nossa casa

Vem que tá na hora de arrumar

Tempo, quero viver mais duzentos anos

Quero não ferir meu semelhante

Nem por isso quero me ferir

Vamos precisar de todo mundo

Pra banir do mundo a opressão

Para construir a vida nova

Vamos precisar de muito amor

A felicidade mora ao lado

E quem não é tolo pode ver

A paz na Terra, amor

O pé na terra

A paz na Terra, amor

O sal da Terra

És o mais bonito dos planetas

Tão te maltratando por dinheiro

Tu que és a nave nossa irmã

Canta, leva tua vida em harmonia

E nos alimenta com teus frutos

Tu que és do homem a maçã

Vamos precisar de todo mundo

Um mais um é sempre mais que dois

Pra melhor juntar as nossas forças

É só repartir melhor o pão

Recriar o paraíso agora

Para merecer quem vem depois

Deixa nascer o amor

Deixa fluir o amor

Deixa crescer o amor

Deixa viver o amor

(O sal da Terra).



http://www.4shared.com/audio/g0FhtrGo/ROUPA_NOVA_e_IVETE_SANGALO_O_S.htm

Mais propostas para o meio Ambiente

As Baleias



Roberto Carlos



Composição: Roberto Carlos / Erasmo Carlos

Não é possivel que você suporte a barra

De olhar nos olhos do que morre em suas mãos

E ver no mar se debater o sofrimento

E até sentir-se um vencedor neste momento



Não é possivel que no fundo do seu peito

Seu coração não tenha lágrimas guardadas

Pra derramar sobre o vermelho derramado

No azul das águas que voce deixou manchadas



Seus netos vão te perguntar em poucos anos

Pelas baleias que cruzavam oceanos

Que eles viram em velhos livros

Ou nos filmes dos arquivos

Dos programas vespertinos de televisão



O gosto amargo do silêncio em sua boca

Vai te levar de volta ao mar e à fúria louca

De uma cauda exposta aos ventos

Em seus últimos momentos

Relembrada num troféu em forma de arpão



Como é possível que voce tenha coragem

De não deixar nascer a vida que se faz

Em outra vida que sem ter lugar seguro

Te pede a chance de existência no futuro



Mudar seu rumo e procurar seus sentimentos

Vai te fazer um verdadeiro vencedor

Ainda é tempo de ouvir a voz dos ventos

Numa canção que fala muito mais de amor



Seus netos vão te perguntar em poucos anos

Pelas baleias que cruzavam oceanos

Que eles viram em velhos livros

Ou nos filmes dos arquivos

Dos programas vespertinos de televisão



O gosto amargo do silêncio em sua boca

Vai te levar de volta ao mar e à furia louca

De uma cauda exposta aos ventos

Em seus últimos momentos

Relembrada num troféu em forma de arpão



Não é possivel que você suporte a barra


http://www.4shared.com/audio/mCxgr-iD/Roberto_Carlos_-_1981_-_03_-_A.htm







A Poesia da Natureza

"Liberdade da Natureza"

que natureza tem a Natureza


de sem capricho algum

ornar com tomates

um jardim suspenso

no décimo segundo andar?

eu? Só cortei um descartável

ao invés de mandar pro lixo

plástico não degradável

e lancei restos pra adubar


e Ela sem capricho algum

selecionou a bel prazer

um exemplo de amostra

que fome não tem lugar



se o homem conscientizado

cuidar do que é Dela

o resto Ela assume

e sabe bem aproveitar.



Soaroir de Campos

Poetas Del Mundo



Música Planeta Água:



Água que nasce na fonte serena do mundo

E que abre um profundo grotão

Água que faz inocente riacho e deságua

Na corrente do ribeirão



Águas escuras dos rios

Que levam a fertilidade ao sertão

Águas que banham aldeias

E matam a sede da população



Águas que caem das pedras

No véu das cascatas, ronco de trovão

E depois dormem tranqüilas

No leito dos lagos, no leito dos lagos



Águas dos igarapés, onde Iara “mãe d’água”

É misteriosa canção

Água que o sol evapora, pro céu vai embora

Virar nuvens de algodão



Gotas de água da chuva

Alegre arco-íris sobre a plantação

Gotas de água da chuva

Tão tristes são lágrimas da inundação



Águas que movem moinhos

São as mesmas águas que encharcam o chão

E sempre voltam humildes

Pro fundo da terra, pro fundo da terra



Terra, planeta água

Terra, planeta água

Terra, planeta água



http://www.4shared.com/audio/ndrxk9_q/PLANETA_GUA_-_SANDY_E_JUNIOR.htm



http://www.4shared.com/audio/MTydvaa_/GUILHERME_ARANTES_-_PLANETA_GU.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário